El Salvador: um compromisso para o desenvolvimento

[Texto exclusivo de Rosa Rodríguez, Business Consultant da Quidgest, para a newsletter CAL Economia]

Dizem que é um pequeno pedaço de terra esquecido na América Central, que mantém a sua beleza em estado bruto (humana, cultural e paisagística). Por esses lados é frequente encontrar praias desertas, vulcões adormecidos, vida selvagem e também a herança de um vasto e rico património histórico.

Esta foi a realidade com a qual a equipa da Quidgest se deparou quando se deslocou a El Salvador para implementar o projecto de monitorização e avaliação do plano e programa do Governo e para apoiar o controlo da execução dos fundos provenientes da agência Millennium Corporate Challenge, concedidos para o desenvolvimento do país.

Dada a sua natureza, o projecto reuniu desde logo um enorme envolvimento e esforço de todos os que nele participaram. Para a equipa da Quidgest esta foi uma oportunidade para conhecer uma nova realidade e aplicar o Balanced Scorecard ao serviço directo da macroeconomia, mais precisamente, do crescimento económico. Enquanto consultora, posso afirmar que esta foi uma experiência profissional e pessoal única, motivadora e desafiante que me permitiu ver de perto o modo como os colaboradores do Governo trabalham com entusiasmo e afinco para cumprir o compromisso estabelecido com a população local.

Por outro lado, o país apresenta um passado político e histórico recente vibrante.

El Salvador é um país de árvores de frutas, de cores intensas e de muitos aromas. Quem o visita sabe que, sem dúvida, o mais importante é a riqueza de alma da sua gente. Sempre amáveis e sorridentes, têm a capacidade de fazer sentir os que vêm de fora como se estivessem em casa. Admirável é igualmente o facto de conservarem os valores e a pureza já perdida nas sociedades ditas desenvolvidas.

Esta impressão contrasta com a imagem transmitida pelos media, que classificam o país como o mais perigoso do mundo. O que podemos afirmar é que a equipa da Quidgest trabalhou no local 5 meses e durante esse período nunca se deparou com situações de risco.

O esforço feito para alcançar pequenas mudanças neste tipo de países é muito grande e para alcançar grandes mudanças deve ser ainda maior. É precisamente a esse nível que eles marcam a diferença, pois nem assim perdem a vontade de lutar.

Esta entrada foi publicada em Economia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s