“O Códice de la Cruz – Badiano e o Nascimento da nova medicina mexicana” (CANCELADO)

 

(O EVENTO FOI CANCELADO POR MOTIVOS DE FORÇA MAIOR)

A Embaixada do México e o Museu da Farmácia organizam para as 18h30 do dia 22 de Janeiro (no Museu da Farmácia) uma conferência intitulada “O Códice de la Cruz – Badiano e o Nascimento da nova medicina mexicana”. O conferencista convidado, Carlos Viesca (Chefe do Departamento de História e Filosofia da Medicina da Universidade Nacional Autónoma do México – UNAM), é considerado o maior especialista do Códice.

O Libellus de medicinalibus indorum herbis, o titulo do manuscrito, foi descrito como um herbanário, mais de que um receituário que continha os segredos maravilhosos da medicina mexica (azteca). Em realidade é muito mais que isso. Alguns textos têm o nome da doença cujo tratamento também contêm algumas precisões clínicas, que permitem conhecer quais eram os sintomas que chamavam particularmente a atenção a estes médicos.

Podem-se ler entre linhas como estão representados alguns Deuses Pré-hispânicos como Tláloc, Quetzalcóatl – Ehécatl, Deus da Chuva e do Vento. A estrutura do texto é dividida em treze capítulos, recorda a divisão do Universo mesoamericano em treze pisos e termina com os problemas relacionados com o parto e com os sinais da proximidade da morte, que encerra o ciclo da existência.

Os remédios que apresenta, pouco mais de duzentas plantas, meia centena de produtos de origem animal e pouco menos de minerais, constituem uma amostra do que era o receituário de um médico do altiplano mexicano no século XVI. Os seus usos mostram uma racionalidade bem estruturada, de acordo com os conceitos que os médicos indígenas tinham da doença, que consistia num desequilíbrio pelo aumento ou diminuição do frio e do calor no corpo ou em algumas das suas partes. Os tratamentos, alguns com contraindicações, outros provocando reações no corpo pois o tratamento é semelhante à própria doença, são ricos e bem fundamentados e expressam um conhecimento amplo dos recursos de que dispunham. Também se observam elementos provenientes da medicina europeia recém – trazida pelos espanhóis.

Contacto Museu da Farmácia:
museudafarmacia@anf.pt
Tel: 213 400 682

Esta entrada foi publicada em Conhecimento. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s