Ex-motorista de Matta diz que ele era como que “de outra dimensão”

Jorge Santos na casa de Matta em Tarquínia, na região italiana de Lácio.

Há dias Jorge Santos comentou a notícia da Casa da América Latina sobre a exposição de Matta na Galeria Millennium. Dada a sua experiência como ex-motorista do artista chileno em Tarquínia, na Itália, entre 1997 e 2001, a CAL decidiu pedir-lhe um curto depoimento sobre Matta. Para Jorge Santos o pintor e escultor “era uma pessoa de outra dimensão”, que estava “sempre disposta a dar bons conselhos”. “Agradeço-lhe por tudo o que aprendi” com ele, diz Santos.

Do que partilhou com o artista Jorge Santos lembra um ensinamento particular: “Quando fizeres uma coisa fá-la para ti, de ti para ti; não faças uma coisa que já tenha sido feita. Isso não é uma coisa nova. Deves ter sempre as suas próprias ideias”. O ex-motorista de Matta diz agora ter “sempre esse conselho presente”.

Santos acrescenta ainda que Matta “antes de morrer queria uma consciência universal, porque [no seu entender] é uma coisa rara ser-se consciente, enquanto a palavra é como uma pistola”.

Esta entrada foi publicada em Artes. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s