Poeta brasileiro Manoel de Barros vence Prémio de Literatura Casa da América Latina/Banif 2012

O Prémio de Literatura Casa da América Latina/Banif 2012, de Criação Literária, foi atribuído à obra Poesia Completa do poeta brasileiro Manoel de Barros. O livro, publicado em 2011 pela Editorial Caminho, esteve na base da decisão unânime do júri composto pela presidente Maria Fernanda de Abreu, por Fernando Pinto do Amaral e José Manuel de Vasconcelos, em representação da Associação Portuguesa de Escritores. O prémio é pela primeira vez atribuído a uma obra de poesia e a um autor brasileiro.

Criado em 2005 pela Casa da América Latina, o prémio destina-se a distinguir uma obra de um autor latino-americano vivo publicada em Portugal nos dois anos anteriores. Em 2006 foi entregue ao argentino Tomás Eloy González pelo romance O Voo da Rainha, publicado pela Editora Asa; em 2008 foi premiado o escritor cubano Senel Paz por No Céu com Diamantes (Sextante); e em 2010, já com o apoio do Banif, o romance Somos o Esquecimento que Seremos do colombiano Héctor Abad Faciolince (Queztal) mereceu a distinção.

A cerimónia de entrega do Prémio, no valor de dez mil euros, será realizada em data a indicar oportunamente.

Manoel de Barros, nascido em 1916 no Estado de Mato Grosso, é autor de uma vasta obra e um dos mais notáveis e originais poetas brasileiros contemporâneos. Carlos Drummond de Andrade, a que os brasileiros se referiam como “o nosso poeta maior”, disse um dia que não era ele, mas Manoel de Barros, o maior poeta brasileiro vivo.

No Brasil, Manoel de Barros obteve os principais prémios literários do seu país, como o Prémio Nacional de Poesia (1966), o Prémio Jabuti (1989 e 2002), o Prémio da Academia Brasileira de Letras (2000) e o Prémio Nestlé de Poesia (1997 e 2006), entre outros. Em 2008, o cineasta Pedro Cezar realizou o filme Só Dez Por Cento é Mentira – a Desbiografia Oficial de Manoel de Barros, que em 2009 obteve no Brasil dois prémios como o melhor documentário longa-metragem.

Abaixo deixamos um excerto do poema Retrato do Artista Quando Coisa, incluído na Obra Completa de Manoel de Barros:

[…] Agora só espero a despalavra: a palavra nascida
para o canto – desde os pássaros.
A palavra sem pronúncia, ágrafa.
Quero o som que ainda não deu liga.
Quero o som gotejante das violas de cocho.
A palavra que tenha um aroma ainda cego.
Até antes do murmúrio.
Que fosse nem um risco de voz.
Que só mostrasse a cintilância dos escuros.
A palavra incapaz de ocupar o lugar de uma imagem.
O antesmente verbal: a despalavra mesmo.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Artes. ligação permanente.

5 respostas a Poeta brasileiro Manoel de Barros vence Prémio de Literatura Casa da América Latina/Banif 2012

  1. MENA LUCIA LIMA diz:

    MARAVILHOSO!!!!

  2. dejair barbosa nogueira de leles (Deja) diz:

    Mais que merecido!!!

  3. Lucia Barros Freitas diz:

    A intimidade com que maneja as letras é absolutamente genial! Sua Poesia, com suas “despalavras”, nos remete a um universo único por ser lúdica, repleta de novos olhares, novas cores e novos aromas. A escolha, unânime, para Manoel de Barros receber o Prémio de Literatura Casa da América Latina/Banif 2012, de Criação Literária, não poderia ser melhor! Bravo!

  4. Vera Lúcia Faria da Costa diz:

    Eta conterraneo, bom de escrita. Vichi Maria.

  5. Para quem profere, ” Eu acho que buscar a beleza nas palavras é uma solenidade de Amor”, esse prémio de Literatura, não podia ter sido para outro alguém!…Parabéns. Ler Manoel de Barros, faz que alguns de meus dias, tenham uma nova cor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s